O que vou fazer hoje?

Existem pessoas na vida que sempre que estão perto de nós conseguem transmitir o amor de Deus e nos formar em cada palavra dita, cada segundo junto é um verdadeiro aprendizado… E hoje tivemos uma pessoa muito querida entre nós que sempre que o encontramos não vemos o tempo passar…

Desde o início da missa até o final do cafezinho após o almoço, quase 5 horas ao todo, foram de grande valia para nossa família!

Conversa vai, conversa vem.. Diversos assuntos.. Principalmente sobre matrimônio, filhos, família.. Assuntos que quase não falamos mais hoje em dia.. Até que uma pequena pergunta que ele soltou no meio da conversa me chamou a atenção… “O que eu vou fazer hoje?”?

O contexto da pergunta era o seguinte: um esposo ou uma esposa ao acordar deveria diariamente se perguntar: O que vou fazer hoje para demonstrar meu amor pelo outro?

Um amigo até brincou, olhou para esposa e disse: Hoje a louça é minha, tá?! E foi aquela risada.

Mas tirando a brincadeira, isso deveria realmente ser a primeira coisa que deveríamos fazer ao acordar… Para os casados, não existe “missão” maior que cuidar do cônjuge e dos filhos.. É a nossa primeira vocação, é o nosso amor maior!

Infelizmente estamos nos acostumando a uma sociedade onde queremos receber antes para depois dar… Queremos que o outro faça algo antes para que então façamos algo em troca… E esquecemos que, se eu quero que algo mude, eu tenho que ser o primeiro a mudar!

Se eu quero mais paz no mundo, eu tenho que ser a primeira a ter paciência!

Se eu quero que minhas filhas sejam educadas e não falem palavrão, eu tenho que ser a primeira a ser educada com elas e não falar palavrão!

Eu preciso sair do meu eu! Tanto para poder dar antes de receber, quanto para estar preparado para talvez… não receber nada em troca…

Criar expectativa de algo é um dos maiores erros do ser humano! Definitivamente!

Quando criamos expectativas de algo que venha de alguém, colocamos as nossas ideias e não as da pessoa… E queremos receber somente aquilo que idealizamos, e assim deixamos de ver o que o outro tem a nos dar, pois certamente virá a frustração por não ter acontecido como queríamos..

Umas das experiências mais gratificantes na vida é fazer doações, não é mesmo? Quem não gosta daquele sentimento de saber que sua doação vai ajudar muito algum necessitado? Muitas pessoas ajudam instituições carentes, participam de ações sociais, jantares beneficentes…

E se o necessitado estiver ao seu lado? E se pensarmos que todos os dias nossa família está carente de nós? Todos os dias pode existir pobreza nos corações deles? Será que não pensaríamos diferente? Será que não nos esforçaríamos mais para ajudá-los?

A gratidão que sentimos ao fazer uma doação é a mesma em qualquer situação, grau e escala! Seja doar 1 milhão de reais ou seja lavar a louça para a esposa, se em ambas situações sabemos que estamos fazendo o bem a alguém, então o sentimento é o mesmo!

Que tal então sairmos de nós mesmos e nos doar diariamente aos nossos?

O que eu vou fazer hoje?

Termino com uma reflexão de Madre Teresa de Calcutá:

“ Acredito que o mundo hoje está de ponta cabeça e sofre muito porque existe tão pouco amor no lar e na vida familiar. Não temos tempo para nossas crianças, não temos tempo para nos darmos uns aos outros, não temos tempo para apreciarmos uns aos outros.

O amor começa em casa; o amor habita nos lares e é por isso que existe tanto sofrimento e tanta infelicidade no mundo… Todos, hoje em dia, parecem estar com tanta pressa, ansiosos por grandes desenvolvimentos e grandes riquezas e assim por diante, de modo que as crianças não têm tempo para os pais. Os pais têm pouco tempo para darem-se uns aos outros, e no próprio lar começa a destruição da paz do mundo.”

Share

One thought on “O que vou fazer hoje?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *